domingo, 14 de fevereiro de 2010

Vale mais que 100 reais



Deitados nús como estávamos, de nada precisávamos,
se não apenas apreciar a beleza das coisas simples.
Não precisava incremento a mera imagem no espelho podia ser chamada poesia.
Não havia dor tampouco medo,

era amor,calor, ardor, afeto e assuntos do dia a dia...
que faziam divertir.
Poeta? Não;
não precisa métrica pra ser poeta.

Há poesia dos beijos
dos desejos
dos abraços
dos amaços
das mãos em meus seios,
do morder,te lamber
e tudo eram delicias...

mas não uma delicia qualquer uma coisa boa esperada,
sem desespero sem ser esfogueada.

Um sorria com o prazer do outro,
o outro sorria com o prazer do um.

Liberdade “nua”! Que coisa?!
Melhor que sexo; Maior que os sexos.
Era o prazer dos amantes.

4 comentários:

  1. Não vale o chiclete que alguém mascou!

    ResponderExcluir
  2. Riso!!
    Eu achei tao lindinho, depois podemos conversar sobre o titulo.

    ResponderExcluir
  3. Imagens no espelho!? Assuntos do dia-a-dia!? õO

    Ao menos dois chiclestes novos, nao!? u,u'

    ResponderExcluir