sábado, 31 de julho de 2010

O tempo de Deus

Este povo de cidade, quando interior a drentro se mete

Experimenta o incrivel tormento do nada a fazer.

Onde os carros não passam

O tempo não passa

Mal passam pessoas



As manhãs são eternas e as tardes

Haa! Aquelas tardes que não tardam em se estender.

E quando veio a noite de frio, e novamente nada a fazer

Lembrei da fala umilde de minha mae:

_ O tempo da gente não é o tempo de Deus.

Foi quando entendi o que acontece quando estou aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário