terça-feira, 24 de agosto de 2010

Prestando atenção em cores que eu nao sei o nome.

A falta dos sonhos
O vazio que gera a falta de você
Não é o tudo da vida

A beleza que sinto
O licor que eu bebo
Não é o medo de existir

Os dias passam meio cinzas
e sim eu penso
é inverno

Mesmo assim vejo
Uma beleza nostalgica
Distante
Quase saudosista
Dos dias passados

De quando se podia dizer a verdade
Sentir de verdade
Quando não era necessário
Se travesti de feliz
De sensato
De necessidades

Nenhum comentário:

Postar um comentário